Como diferentes criações da humanidade interferem no contexto organizacional?

Você sabe o que o DISC, a Mulher Maravilha e o Polígrafo têm em comum e como esse fator interfere no contexto organizacional?


Paula Carvalho - Publicado em: 22/08/2018



post img

No nosso último post aqui no Blog da Talent, falamos sobre O que é DISC e como o seu uso pode ser vantajoso para as organizações.

Mas você já imaginou que poderia existir alguma coisa em comum entre o DISC, a Mulher Maravilha e o Polígrafo? Quando nós, aqui da Talent, descobrimos esse elemento em comum e quase não acreditamos.

Dr. William Moulton Marston. Esse é o elemento em comum do DISC, da Mulher Maravilha e do Polígrafo. O psicólogo norte americano é conhecido por sua profissão e, ainda, pelas suas invenções e criações. Ao longo de sua vida, suas contribuições para a humanidade foram diversas e muito significativas.

 

Sobre a Mulher Maravilha

O contexto no qual a Mulher Maravilha foi criada, na década de 40, apresentava uma cultura que condiz com uma ideologia patriarcalista extrema.

Mulheres não podiam frequentar universidades, não podiam votar em eleições e praticamente não possuíam um trabalho fora de casa.

Para criar a personagem, Marston se inspirou em mulheres com as quais ele mesmo convivia que demonstravam força para lutar contra a sociedade em que viviam.  

Também chamada de Deusa da Verdade, a Mulher Maravilha possui um laço; quando ela envolve alguém com esse laço, ou corda, a pessoa não consegue evitar a verdade.

 

Sobre o Polígrafo

Marston também foi responsável pela criação do Polígrafo, comumente conhecido como Detector de Mentiras.

O Polígrafo é um aparelho que monitora e mensura determinadas reações físicas de uma pessoa, como as batidas do coração, a respiração e a pressão arterial, além da atividade eletrodérmica (suor nos dedos, por exemplo).

As variações destes aspectos mensurados podem indicar que a pessoa está mentindo. Isso porque compara-se a reação de algo que se sabe ser mentira com algo que se sabe ser verdade.

Contudo, mesmo com a demonstração das taxas para cada um das reações físicas citadas, a interpretação final cabe ao examinador que está realizando o exame do Polígrafo.

Sobre o DISC

Ainda, Marston também foi responsável por criar a ferramenta DISC. O DISC é uma metodologia de análise de perfil comportamental.

Marston, que tinha PhD em Psicologia pela Universidade de Harvard, desejava explicar as respostas emocionais das pessoas. Basicamente, o porquê reagimos de certa maneira em determinadas situações.

Assim, ao formular sua teoria comportamental, o psicólogo definiu quatro tipos de perfis:Dominante, Influente, Estável e Conforme.

Cada perfil é marcado por algumas características e tipos de comportamentos, e reações, que os definem.

Dominante: As pessoas desse perfil possuem maior facilidade em lidar com desafios; são determinadas, exigentes, e prezam pelo domínio sobre a situação e ousadia.

Influente: As pessoas influentes são mais emocionais e que têm grande facilidade em influenciar outras pessoas; são entusiasmadas, têm persuasão, são comunicativas e possuem otimismo.

Estável: São pessoas que buscam, como o nome do perfil indica, estabilidade; assim possuem paciência, tranquilidade e são extremamente leais e gentis.

Conforme: Esse é o perfil que possui maior facilidade em lidar com regras e processos; os conformes possuem senso analítico e lógico, disciplina e precisão.

Mas o que tudo isso tem a ver com o contexto organizacional?

Até aqui falamos sobre Mulher Maravilha, Polígrafo e DISC. E, provavelmente, você está se perguntando o que tudo isso tem a ver com o contexto organizacional.

As descobertas de Marston foram de extrema importância para toda a humanidade, sendo que cada uma desses três que destacamos hoje possui um significado especial.

Mulher Maravilha trouxe uma nova visão a respeito da feminilidade e do que as mulheres são capazes; trouxe esperança às meninas que estavam crescendo cercadas de limitações pelo seu gênero.

Polígrafo se caracterizou como uma ferramenta de alta importância para processos judiciais e, até mesmo outras práticas, que precisavam da verdade indubitavelmente.

Já o DISC, bom, o DISC revolucionou o que entendemos por Gestão de Pessoas dentro das organizações.

Através do DISC é possível realizar um Mapeamento de Perfil, que é extremamente importante para ter a certeza que você, dentro da sua empresa, possui a pessoa certa no cargo certo.

É comum observamos processos seletivos pouco rigorosos nas empresas. Como consequência, é fácil encontrarmos pessoas despreparadas para ocupar determinados cargos.

Ou, ainda, não é difícil ver por aí pessoas que ocupam cargos simplesmente por critérios de confiança e não de capacidade.

As consequências desses cenários - pessoas despreparadas desempenhando funções sem o conhecimento e habilidades necessárias - podem ser drásticas para uma empresa.

É possível, por conta disso, perder clientes, gerar falhas nos processos, acarretar em insatisfação interna e, como consequência maior, o prejuízo financeiro irá acompanhar todos esses fatores negativos.

DISC veio, então, como uma forma de analisar os perfis comportamentais dentro do contexto organizacional para que seja possível determinar se você possui o time que precisa para alcançar os resultados desejados.

É aquela coisa de pessoa certa, no lugar certo, na hora certa, sabe?

Nós, da Talent Hunter, elaboramos uma ferramenta baseada no DISC para realizar o Mapeamento de Perfil com o principal objetivo de desenvolver a sua equipe, clique aqui para conhecer!


Leia também: